1

Dia de Finados? Ou dia de Renascidos?


O Dia de Finados é o dia da celebração da vida eterna das pessoas queridas que se foram. É o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca.

É celebrar essa vida eterna que não vai terminar nunca. Pois, vida é viver em comunhão íntima com Deus, agora e para sempre.

Hoje me recordo dos meus amados que já partiram com muita saudade, mas com a certeza de que um dia, em breve, iremos nos encontrar!

Um beijo, minha mãe! Leve meu beijo à todos os nossos queridos que continuam a vida aí ao seu redor.

0

Uma satisfação

Hoje recebi um telefonema de uma senhora muito simpática me perguntando sobre a caravana para Lorena no dia 22 deste mês.
Expliquei à ela que estou afastada de tudo o que diz respeito à Caravana e Cartas Consoladoras desde dez/2010.
Sei que não coloquei aqui nenhuma satisfação e aproveito p/ deixar aqui a conversa que tive com essa doce senhora que devolveu seu marido à Pátria Espiritual à aproximadamente 3 meses e encontra-se desconsolada.

Ela questionou-me o porque de meu afastamento e assim eu disse:

Tudo tem uma hora para começar e uma hora para terminar.

Minha missão com as Cartas Consoladoras e com a Caravana Luz de Maria teve essas horas também.

Sou muito agradecida ao médium Rogério H. Leite pelas notícias que recebi de minha amada mãe e pelos momentos em que tive oportunidade de estar ajudando e abraçando pessoas que, como eu, sofrem com a dor da saudade.

Terminei minha conversa com ela, rogando ao Nosso Pai que permita que seu amor lhe envie algumas linhas p/ que ela possa aliviar a saudade. Ela terminou me abençoando...isso me fez muito bem!

Motivos para o meu afastamento, existem sim, pois estamos ainda no plano material e não somos perfeitos, mas deixo à Deus a parte quanto ao julgamento.

Hoje estou mais tranquila quando a aceitação. Ainda me sinto muito triste. ainda choro a dor da saudade. Mas sei que minha mãe, de onde estiver, ainda vela por mim e minha familia.

Sei que este blog foi alvo de muitas visitas devido as psicografias, porém, não é minha intenção ser uma blogueira famosa e nem conseguir visitas através das cartas. Minha intenção foi realmente manter a memória de minha mãe viva! E é isso que ando fazendo. Porque só morre quem é esquecido!

Amo minha mãe mais do que a mim própria e enquanto viva eu estiver, viva ela estará!!!

Um abraço fraterno!
0

3 anos de saudade

Mae, tá doendo!
Uma dor que não passa, que não dá trégua!
Que saudade de você!
Impossível não ficar lembrando quando essa data se aproxima.
A data do seu desligamento = 25 de agosto de 2009
Fico me lembrando do que estávamos fazendo em 17/08/2009, 08 dias antes de você partir.
Sabe, mãe! Na verdade eu acho que o ser humano fica "procurando" sofrimento. Mas é tão difícil!
Lembro que 17/08/2009 era uma terça feira e estávamos na luta prá juntar todos os seus exames p/ iniciar a quimioterapia.
Deus, continue me fortalecendo!
A vida é muito difícil sem a presença física da minha mãe!
Saudade...mãezinha!
0

Enquanto viva eu estiver, viva você estará!

Sei,

Que mesmo sem você

As estrelas vão brilhar,

A lua vai aparecer

O sol vai nascer

Vou novamente amá-la

O mundo não vai parar de girar

Os sonhos não vão deixar de existir

Sei que mesmo sem você

Vou ter que viver,

Vou ter que sonhar,

Vou ter que crescer.

O tempo não volta,

O tempo não para,

O tempo só passa

A fisionomia se muda

O olhar a acompanha.

Sei que,

Podem anos se passar

Pois jamais vou conseguir

DEIXAR DE TE AMAR

0

Dia das Mães

Triste sem sua presença física.
Triste sem aquele almoço comemorativo.
Triste sem poder te dar um presente.
Vazio com sua ausência.
Receba mãe, minha oração e minha gratidão.
Obrigada por tudo.
Seja feliz em sua vida espiritual.
Te amo!
1

Feliz Páscoa, mãe!

Minha mãe, minha rosa preciosa


Minha mamãe, minha mãe amada de meu coração
você é o presente mais precioso que ganhei de DEUS
quando eu nasci de você.

De todas as flores que eu procuro cultivar em meu jardim
cheio de encanto,
você é a rosa mais importante.

Minha mãe obrigada por nunca ter desistido de mim,
mesmo passando por tantas batalhas em teu caminho.
A vida te fez chorar muito,
mas o brilho de teus olhos não desapareceu.

Minha mamãe, minha mãe
você é todo o exemplo que eu preciso
carregar para toda minha vida.

Muito obrigada por tudo que sacrificaste por mim,
para me fazer a pessoa que sou hoje
e sempre serei,
graças ao teu imenso amor
eu fui e sou feliz.

Porque te amar, minha mãe
é meu doce prazer e uma forma de te agradecer
por tudo que fizeste e continuas fazendo
por mim e por nós.

Te amo minha rosa preciosa.
Beijos doces de amor
em teu grande coração de flor.

Crédito: Antonia Maria
Saudade de você, mãe.
Do seu sorriso,
Do seu afago,
Da sua maneira de entender a vida.
Saudade do seu beijo,
Do seu cuidado.
Saudade de você, mãe.
Saudade de ter você por perto.
Das nosssas conversas,
Das nossas troca de olhares,
Que sem palavras Tudo podiam expressar...
Saudade de você, mãe.
Saudade que dói.
Que os anos amenizam,
Mas não curam.
Que o tempo tenta, Mas não apaga.
Saudade de você, mãe.
De ter mãe.
De ser filha.


 Poema de Isabella Knust
1

A dor da perda

A Dor da Perda (II)

Não existem palavras, línguas, gestos ou mesmo pensamentos que possam expressar a dor da perda. Ela é tão profundamente dolorida e fere a alma com esmero desmedido, cortando lenta e dolorosamente com o lado cego da faca.

A dor é fenomenal, incrívelmente dor, extraordinariamente dor, fatalmente dor. É dor, dor, dor, somente dor. E não cede, não acalma, não dá trégua. E a alma se contorce, revolve, chora, berra e geme em lamentos surdos, que tomam o corpo, que fazem cambalear e entontecer o espírito.

A dor da perda não tem som, não tem voz, e invade o âmago do ser silenciosa e cruelmente fazendo doer e adoecer o corpo. Massacra a alma a tal ponto de tudo ao redor perder o sentido. Tudo. Tudo perder o sentido e o brilho da vida.

Os olhos olham mas nada vêem, os ouvidos ouvem sem nada ouvir, os braços caem sem sentir qualquer amparo, qualquer sussurro de compreenssão, de entendimento. Somente o gosto do sangue da dor é percebido no fundo do coração que sangra, falece e se afunda no fundo da terra, do pó.

E tudo vira dor profunda e cortante como o fio de uma navalha. Os sentidos perdem a razão de ser. Robotizamos o corpo e caminhamos, perdidos e anestesiados de lá prá cá, de cá prá lá, desnorteados, confundidos, atordoados e completamente perdidos de nós mesmos. Esquecidos de tudo e de todos, menos da dor que rasga, dói e arranha o coração até o sangue jorrar em lágrimas profusas e gritos inaudíveis.

A dor da perda cala fundo e faz sepultura da alma onde desejamos ardentemente nos enterrar, em silêncio absoluto, em escuridão infinda, em adormecer eterno. Faz desejar a morte e buscar o fim de tudo, inclusive de si mesmo, para calar... a dor...

Não existem palavras que definam a intensidade da dor da perda. Ela é tão incrivelmente dor que perdemos a definição e a expressão do que sentimos. Nada mais importa. Nada. A dor da perda é pesada demais. Impossível de se carregar solitariamente.

Por isso, por tudo isso, havemos de buscar forças para suportar a dor da perda, por mais profunda, pungente e dolorida que seja, por mais aterradora e insensível...

Havemos de nos resguardar da dor, de acordar e lutar para viver, mesmo a alma em soluços, mesmo que o espírito, anestesiado pela dor, perca a vontade de lutar e continuar a viver... havemos de nos resgardar da dor no alento dos braços do amor, que é o único que torna possível tudo, por ele, com ele, suportar...


A você, que hoje lembrou e chorou a perda do pai ou da mãe...do filho, da filha ou de uma pessoa que simplesmente ama!



in Recanto das Letras
1

O tempo passa...

O tempo passa...
Tudo continua a mesma coisa.
É difícil encontrar ânimo nas coisas mais simples do dia a dia sem você, minha mãe.
Lá se vão 2 anos e 5 meses.
Há quem me disse que o tempo cura as feridas. Porém, a cada dia, cada hora, cada minuto, sinto as feridas mais abertas, sem sua presença.
Tenho medo do que pode vir ainda pela frente.
Não sinto mais vontade nem de sair da cama.
Me ajude, Deus do céu!
Me ajude a aceitar essa separação.